O Meu Canto Recatado

Outubro 10 2019

Voltei a estudar...estranho...voltei ao fim de 10 anos a sentar-me a uma mesa de sala de aula, a ouvir professores, a ter colegas de carteira que estão ao meu lado e que de forma mais ou menos ávida ouvem aquilo que lhes é dito.

Estranho...não me lembrava de forma muito nítida como era isto...mas é estranho...

Estou hoje bastante cansado...estudo enquanto trabalho e enquanto mudo de casa e enquanto faço uma imensidão de coisas e...sinto-me assoberbado...quem me conhece bem, e essas pessoas são menos que os dedos da mão, sabe que sou habitualmente calmo, não diria ponderado, mas pelo menos calmo, no entanto, esta semana já perdi a paciencia com 2 pessoas, algo muito pouco usual em mim...estou cansado e a verdade é que tenho diversas coisas para tratar e pouco tempo para isso...

Estou cansado...e só agora regressei à escola...

Pensado por um tipo qualquer às 00:31

Setembro 09 2019

Este fim-de-semana é longo, muito longo...ontem trabalhei cerca de 12 horas, hoje trabalho 24h, loucura? Talvez...mas infelizmente tem de ser. 

Estou cansado...reconheço, embora o cansaço afecte a minha capacidade de escrita (tenho dificuldade em criar algo do 0), não me afecta a capacidade de trabalho...tenho quase 10 anos disto...quase 10 anos, sei que pode parecer pouco, e a verdade é que é, ainda terei facilmente 30 anos de trabalho pela frente, e embora adore o que faço por vezes custa-me pensar que terei de o fazer até ao fim dos meus dias praticamente. Existem estudos que dizem que ninguém na minha área deve estar maisd e 10 anos no mesmo local...que ao fim deste tempo começamos a estagnar, a perder capacidades, a não executar o nosso trabalho da forma mais adequada, isto está provavelmente relacionado com o cansaço, com a exaustão, não aquele cansaço do dia-a-dia, mas provavelmente com a rotina.

Gostava de mudar de sítio, gostava de sair daqui, mas não sei para onde, a verdade é que não tenho grandes ligações à excepção dos meus pais. A minha alternativa seria ir para a "terra", o local onde os meus pais nasceram e cresceram, aquela que é a minha "terra" de coração. Nasci em Lisboa, mas nunca apreciei particularmente a cidade, sempre gostei mais da serra, do interior do país, da calmaria. Provavelmente estaria melhor nessa pasmaceira, nessa calmia...talvez o problema não seja esse...talvez precise de estar sozinho, quando digo sozinho refiro-me a estar num local onde ninguém me conheça...sozinho...talvez precise de fugir...mas custa...mas dói...dói...tu não sabes...mas dói...e sei, que enquanto aqui estiver vai doer...vai custar...enquanto estiver nesta minha "casa" nunca me vou libertar...mas esta é a minha "casa" e embora nestes últimos tempos me tenha sentido um estranho aqui continua a ser o meu lar.

Sou um disco riscado...mas verdade é que umas vezes mais que as outras dói...e não é pouco...

Pensado por um tipo qualquer às 00:30

Agosto 28 2019

Estou cansado...não tenho escrito porque não tenho sentido necessidade mas estou cansado...a minha vida continua igual com a excepção que neste momento tem um relógio...tenho de sair da casa onde moro por ter terminado o contrato de arrendamento e embora tenha sempre uma casa para onde posso voltar essa é a minha última opção...não me interpretem mal, adoro os meus pais, mas...preferia não voltar para casa deles...é a casa deles, já não é a minha.

Sinto-me sozinho, assim me mantenho de cabeça e quando estou sozinho fisicamente ainda mais...fiz um upgrade ao meu hobby ciclístico, faço bicicleta todos os dias que posso (regra geral no rolo), 5 a 6 dias por semana, é fantástico, durante aqueles 30 minutos/1 hora nada mais existe à minha volta, apenas aquele sofrimento físico intenso que adoro, durante esse tempo estou vazio, nem feliz, nem triste, nem sozinho, nem acompanhado, apenas estou ali...

Tenho agora 32 anos, como o disse já a vida não me correu como eu esperava, é pena...gostava que tivesse corrido, tinha planos para o futuro, coisas mais ou menos elaboradas que ficaram pelo caminho, que vão ficando e que agora não me preocupo a maior parte do tempo...agora ando ao vogar da corrente...o tempo passa...a vida passa...e eu...estou apenas aqui...e vejo a vida passar...pessoas de quem gosto passam...coisas da vida passam...e eu deixo-as ir e, neste momento, não as consigo apanhar, não me ralo, dói, mas não me ralo, porque mexer-me custa mais, a lembrança do que eu queria para o futuro e que não tenho dói mais...sempre tive uma máscara, na minha vida fora de mim, forma fácil e simples de afugentar perguntas, forma fácil e simples de que ninguém se meta comigo, mas a verdade é que neste momento queria que alguém se sentasse comigo e falasse comigo, me perguntasse o que se passa, porque estou assim, porque estou triste só que...eu nunca estou triste...nunca deixo que ninguém me veja assim, sempre tive de ser aquele que animava, porque estar triste é para fracos, é para aqueles que não têm esperança no futuro, é para aqueles que não têm nada...é para aqueles como eu.

Tenho 32 anos...e ainda não fiz nada...tenho 32 anos...e não sei o que fazer...

Pensado por um tipo qualquer às 00:40

Julho 19 2019

Passou-se quase 1 mês desde a última vez que falámos de forma normal...embora te queira esquecer e embora me esforce para o fazer é-me muito dificil...sabes, hoje fazes anos, 26, és muito nova, se calhar demasiado nova para me perceber, demasiado nova para gostares de mim, disso sei, embora também tenha a certeza que nada tem a ver com a idade mas todos os motivos são válidos...

Há uns dias perguntas-te-me da forma mais directa que conseguis-te porque te ignorava, porque mal falava contigo, disses-te que não eras parva e tinhas reparado nisso...sim, não és parva...de forma o mais fria possível apenas te disse que apenas não tinha calhado...respondeste "claro claro"...óbvio que não acreditas-te mas a verdade é que também não te preocupas com isso o suficiente, eu percebo...afinal de contas tens os teus amigos, a tua família...todos aqueles de quem gostas...

Hoje fizeste 26 anos e dei-te os parabéns porque o faço a todos os meus colegas, de forma simples e sem floreados...embora quisesse dizer que estava feliz por teres feito 26, tal como estava quando fizeste 25 e tal como estarei quando fizeres 27, queria dizer que gostava de estar contigo para te dar os parabéns, dar-te uma prenda, dar-te um beijo e desejar-te felicidades, tudo de bom, que te divertisses...e tudo, e tudo, e tudo...

Uma colega...amiga dos dois perguntou a vários de nós se eventualmente iríamos fazer uma pequena surpresa, um lanche para te dar os parabéns...a minha vontade era dizer "claro, sem dúvida, lá estarei" mas não posso, não estou cá, e embora pudesse alterar os meus planos não o farei...tenho de manter esta distancia, esta tentativa de te esquecer ou pelo menos fazer com que aquilo que sinto por ti desapareça...e então...talvez um dia...possamos voltar a ser o que éramos...possamos voltar a ser amigos...possamos voltar a conversar após as passagens de turno...possamos voltar a reclamar dos mesmos colegas e das formas estranhas de trabalhar...possamos voltar a dar-nos de forma normal...

Hoje fizeste 26 anos...e hoje custou-me mais ainda do que me tem custado todos estes dias...tenho saudades tuas miúda, a sério...tenho saudades do teu sorriso...tenho saudades de ti...e amanhã será um novo dia...mais um dia em que, relativamente a ti, a minha missão é odiar-te...odiar-te não...odiar o que sinto por ti, sei hoje, mais do que nunca, que nunca te conseguirei odiar, por muito que me esforce, por muito que o queira, por muito que o diga, não consigo...

Hoje fizeste 26 anos. Parabéns e espero que sejas feliz...sempre!

Pensado por um tipo qualquer às 23:50

Julho 04 2019

Não consigo esquecer...a verdade é que por vezes penso em falar contigo, mas depois o meu ego diz-me algo muito simples "se ela estivesse ralada ter-te-ia dito algo já" a verdade é essa, a verdade é que o meu corte unilateral de relações contigo não te fez qualquer mossa...talvez porque neste momento não precises de nada, não precises de conversar, não precises de um amigo, deste amigo...em conversa com um grande amigo eu ele falava da possibilidade de ser uma questão de interesse da tua parte...a verdade é que sou mais experiente, mexo-me melhor no meio onde trabalhamos e tenho um à-vontade muito particular e que tu não tinhas...a verdade é que tentei ensinar-te muita coisa, especialmente coisas que não se aprendem nos livros, questões de atitude, formas de dizer as coisas, de argumentar...não sei se é verdade, se tinhas interesse ou se foi apenas inconsciente...ou se na realidade isso não passa neste momento de uma racionalização minha, é também possível.

 

Não consigo esquecer aquilo que sinto por ti, embora reconheça que neste momento me sinto bastante bem...tenho estado sem tranalhar, tenho feito exercicio, jogo computador, trato da casa...estas pequenas actividades que até gosto de fazer vão-me mantendo razoavelmente ocupado e tranquilo...não sei...talvez um dia as coisas voltem ao normal...talvez um dia me ria disto contigo...será um bom dia esse dia...

Pensado por um tipo qualquer às 21:47

Junho 29 2019

Foste tu...o meu coração caiu-me aos pés no momento em que te vi entrar por entre o rádio e a bancada...disse "boa noite" e comecei a passar, mal olhei para ti, mal disse algo que não fosse o estritamento necessário, fiz questão de só falar dos doentes, não sorri e quando terminei levantei-me, ignorei o teu "boa noite" e saí........................em casa aguardei por algo, por uma mensagem a perguntar o que quer que fosse...sim, eu sei, prometi odiar-te, prometi que me estava a cagar, mas...tudo é tão dificil...sou um homem de paixões e se decido odiar, odeio, nem que seja para comprovar que sou capaz, mas uma coisa é demonstrar outra coisa é sentir...hoje consegui fazer de conta...hoje consegui ignorar aquela que amo...

Pensado por um tipo qualquer às 00:52

Junho 28 2019

Existem boas e más pessoas em todo o lado, bons e maus profissionais em todo o lado...infelizmente existe se calhar uma proliferação de más pessoas em locais onde alguém bom poderia fazer mesmo algo bom...

O que quero dizer com esta conversa? Absolutamente nada...tenho saudades...tenho saudades das conversas, ontem estive para te mandar mensagem...mas andei para trás "não pode ser, que se &$%# o raio da miúda" pensei eu, mas este pensamente durou cerca de 10 segundos e logo a seguir a vontade voltou...contive-me, contenho-me e neste momento em que vou ser rendido espero bem que não sejas tu, tal como gostava que fosses, não para te amar com os olhos mas para te odiar e para que me perguntasses se estava tudo bem, que me dissesses que tinhas reparado que tinha deixado de falar contigo...para saber que te importavas...para saber que estavas aí e que eu não te quero, que eu &#$(/&%"#$...

Pensado por um tipo qualquer às 22:06

Junho 24 2019

Este fim-de-semana foi de muito trabalho, 17h por dia a trabalhar e hoje estou a trabalhar desde as 7:30. Gosto de trabalhar, confesso que os períodos longos não me aborrecem particularmente, mas também é verdade que acima de tudo gosto de me manter ocupado.

Gosto e preciso de ocupar a mente...passa muito por isso...agora trabalho...amanhã logo vejo...

Pensado por um tipo qualquer às 23:48

Junho 21 2019

Falei-te...disse-te o que sentia e o que pensava e tu, fizeste-te desentendida, fizeste que não percebias, não querias perceber ou não estavas interessada, pior do que dizer que não me querias, que não estavas interessada, ou até mesmo que me vias apenas como amigo, mas a verdade é que não respondeste, apenas disses-te que não da mesma forma que se enxota uma mosca.

Por isso algo vai mudar, lamento, não tens culpa mas vou ter de o fazer, dizem que amor e ódio são coisas semelhantes e, embora não te vá odiar, vais deixar de ter este teu amigo ao teu lado...preciso disso, para me orientar, para tentar eliminar-te, expurgar-te do meu ser e da minha cabeça.

Vou ter de usar o "mau", aquele meu defeito de carácter que na realidade é a minha personalidade, aquela personagem que te vai ignorar, responder de forma simplista e recusar todos os pedidos. Aquele que aprendi a esconder.

Vou ter de fazer birra contigo, não quero, não queria, a sério que não, mas fiquei magoado, estou magoado, não tens culpa bem sei, se não sentes o mesmo que eu nada posso fazer quanto a isso, mas a verdade é que me custa.

Sei que pareço andar em círculos com esta conversa, mas estou cansado, estou triste e irritado. Sinto-me muito sozinho, também sei que parte da irritação é essa. Estou sozinho.

Pensado por um tipo qualquer às 22:25

Junho 19 2019

Hoje em conversa com uma colega esta dizia-me que andava preocupada com o irmão, que ele e a namorada andavam desentendidos e que ela achava que a namorada apenas estava com ele por interesse. "Não trabalha, despediu-se dos empregos, quem a sustenta é ele e ela ainda reclama que ele devia ser ambicioso e procurar um trabalho onde ganhe mais!" dizia-me ela, "Não percebo como é que ele não percebeu que ela está com ele porque se acabarem fica sem casa e sem forma de se sustentar, não percebo!" rematou.

"Talvez goste dela, não sei, talvez seja por isso, talvez tenha esperança que as coisas melhorem." disse eu em defesa do rapaz "Talvez esteja ainda apaixonado!" terminei. "Sim, mas paixão não é sinónimo de estupidez!" e continuou ela a dissertar sobre como nunca tinha gostado dela e que o irmão tinha de resolver o problema depressa.

"...paixão não é sinónimo de estupidez!" será que não é? A paixão não se explica, não aparece por nenhum mecanismo racional ou lógico, não se consegue arranjar uma fórmula ou motivo válido para que ela apareça. Não será sinónimo de estupidez claro, mas será que não anda lá próximo? Pela paixão fazemos coisas que não fazem qualquer sentido, gostamos de pessoas sem sabermos sequer o porquê, tentamos tudo para cumprir esse desígnio (desculpem-me os ultra-românticos, mas gosto muido de anatomia) que o nosso cérebro nos imprime. Pela paixão fazemos coisas estranhas.

Não consegues perceber, colega, que por uma paixão fiquei a conversar contigo atrasando o meu trabalho, por querer estar contigo mais um pouco perguntei-te se havia novidades sobre o teu irmão? As paixões fazem isso, pela minha, alterei a minha rotina, mais que estudada e executada, para estar contigo, apenas a ouvir-te falar, apenas a conversar contigo e a trocar ideias sobre paixões e pessoas que vivem dos rendimentos dos outros.

Não é por estupidez, mas não é por nenhum motivo realmente lógico, sei disso, e embora me digas que não percebes (talvez nunca tenhas estado verdadeiramente apaixonada) a tua relutância em perceber as paixões ao mesmo tempo entristece-me e alegra-me, não viverás nenhuma paixão agora, mas também não as consegues compreender.

Viver paixões é estranho, apenas tive duas na vida, uma concretizada, transformou-se mais tarde num fracasso por a outra pessoa não ser aquilo que eu pensava, e outra vivo-a agora, sem a ter ainda concretizado ou percebido se realmente é uma paixão ou apenas um capricho da minha mente controladora e por vezes egocêntrica a dizer " Tens de a conseguir, custe o que custar, tens de a conquistar!"

Estou apaixonado sim, tal como o teu irmão, faço coisas sem sentido e aceito coisas para mim que não aceitaria em condições normais, será que estou estúpido? Talvez, mas nunca fui muito bom de qualquer das formas.

 

Pensado por um tipo qualquer às 09:35

Um local onde posso escrever/pensar/desabafar sem que me incomodem ou julguem, sem inibições ou travões.
Eu sou assim
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO